REGIMENTO INTERNO

REGRAS DE ARBITRAGEM

MEMBROS DO CEG

REGRAS DE ARBITRAGEM

REGRAS DE ARBITRAGEM

MEMBROS DO CEG

REGRAS DE ARBITRAGEM

MEMBROS DO CEG

REGRAS DE ARBITRAGEM

MEMBROS DO CEG

REGRAS DE ARBITRAGEM

MEMBROS DO CEG

Acabamento Site Jigoro Kano c Kandi mais

REGIMENTO INTERNO

Seção I - Da Denominação e Natureza

Art. 1 - A Federação de Judô Social do Estado do Rio de Janeiro, sigla FJSERJ, também conhecida como Judô Social Rio, é uma associação de natureza social, esportiva, recreativa, cultural e beneficente sem fins lucrativos, voltada essencialmente para as pessoas em extrema vulnerabilidade social e com deficiência (PCDs), objetivando os princípios filosóficos do Judô Kodokan, com a manutenção da integridade, respeito e disciplina, bem como do crescimento de seu patrimônio. Sua competência será definida por seu estatuto.

Art. 2 – O Judô Social Rio promoverá eventos de judô, clinicas de arbitragem e demais cursos, além de atividades sócio culturais, visando o bem estar e o congraçamento entre seus filiados.

Art. 3 – O Judô Social Rio também poderá promover ações de assistência social regida na forma da lei, por seu estatuto, por este regimento interno e pelas demais deliberações dos órgãos de poder da FJSERJ.

Art. 4 – Realizar processos licitatórios através da aprovação da Diretoria Executiva que venham auxiliar no desenvolvimento de eventos de judô e de seus filiados, difundindo a marca do Judô Social Rio e o fomento do Judô Kodokan.

 

Seção II - Da Finalidade do Regimento Interno

Art. 5 – O presente regimento interno tem por finalidade estabelecer normas de conduta, bem como definir atribuições e regulamentar a disciplina, o discernimento de respeito e ética oriundos do judô em assembleia geral, reuniões administrativas, clinicas e cursos, além dos eventos esportivos e sociais da FJSERJ.

5.1 – Este regimento está vinculado as normas disciplinares e filosóficas do judô e complementa o código de conduta em competições bem como o código de ética e disciplinar da FJSERJ.

5.2 – O associado deverá obrigatoriamente esgotar todas as instâncias de julgamento dentro da FJSERJ.

5.3 – O infrator após exercer todo o seu direito de defesa, poderá levar os casos extremos ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), pagando a taxa de recurso no valor de dois salários mínimos.

Art. 6 – A obrigatoriedade do cumprimento das normas expressas neste regimento será absoluta por parte dos filiados, seus alunos, seus diretores e professores, bem como dos seus convidados, sem privilégios ou exceções.

 

Seção III - Na Decorrência de Débitos na FJSERJ

Art. 7 – Na falta de pagamento de qualquer valor devido a FJSERJ, aplicam-se as seguintes regras:

7.1 – Expirado o prazo de pagamento, os débitos serão acrescidos de multa, juros e correção monetária pelo índice oficial do governo federal.

7.2 – Transcorridos 90 (noventa) dias do prazo na quitação dos débitos, a Diretoria Executiva notificará o filiado através de carta com A.R. Para que pague o valor estipulado no prazo de 30 (trinta) dias, sob pena de ficarem suspensos os seus direitos como filiado até que seja solvido o débito.

7.3 – Na falta de pagamento do débito será aberto pela Diretoria Executiva um processo de eliminação do associado do quadro de filiados.

                                                                                                        

Seção IV - Do Processo Disciplinar

Art. 8 - O processo disciplinar é o instrumento utilizado para apurar a ocorrência das infrações insertas nos Artigos 6, 7 e 8 com seus parágrafos do estatuto da FJSERJ, bem como das infrações definidas neste regimento e códigos de conduta, sendo o direito de defesa do infrator exercido na forma da lei.

Art. 9 – O processo disciplinar instaura-se através de oficio ou em razão de comunicação escrita e fundamentada por um dos órgãos de poder da FJSERJ ou seja, pela comissão disciplinar da FJSERJ, comissão de ética, pelos coordenadores da federação ou pela diretoria executiva.

Art. 10 – Instaurado o processo disciplinar, ele será encaminhado a diretoria executiva para instrução e posterior julgamento.

Art. 11 – O infrator deverá ser notificado por escrito (carta com A.R.) para, querendo, apresentar defesa prévia e arrolar testemunhas no prazo de 15 (quinze) dias, com a responsabilidade de trazer as pessoas arroladas para a sessão de julgamento, sob pena de preclusão da prova.

Art. 12 – A diretoria executiva e ou outra comissão poderá determinar a realização de diligências que julgar necessárias e convenientes, reunir documentos e colher outros elementos de convicção.

Art. 13 – A instrução deverá encerrar-se no prazo de 60 (sessenta) dias, contando da data do procedimento disciplinar, prorrogável por igual período.

Art. 14 – Concluída a instrução, será oportunizado ao infrator ou ao seu procurador constituído, o prazo de 20 (vinte minutos) para ofertar suas alegações finais.

Art. 15 – Depois de encerrada a instrução processual, a diretoria executiva da FJSERJ julgará o procedimento disciplinar, absolvendo ou condenando o infrator.

Art. 16 – O infrator poderá recorrer do julgamento no prazo máximo de 30 (trinta) dias  ficando responsável pelas custas do processo.

Art. 17 – O procedimento disciplinar e a audiência de julgamento deverão ser sigilosos mediante definição dos membros julgadores.

17.1 – Os depoimentos, quando for o caso, serão tomados isoladamente, não podendo um depoente ouvir o relato de outros.

17.2 – Em caso de não comparecimento do infrator na data estipulada da correspondência o processo correrá a revelia.

 

Seção V - Das Infrações Disciplinares

Art. 18 – Constituem infrações os atos praticados por professores, diretores de associações, atletas ou convidados da associação por atos atentatórios à moralidade, à disciplina e ao patrimônio da FJSERJ, bem como a infringência ao estatuto, a este regimento interno, ao código de ética e disciplinar, ao código de conduta em competições e demais regulamentos oriundos dos órgãos emanados pela FJSERJ.

Art. 19 – Advertência – será aplicada aos infratores primários nas transgressões disciplinares, estatutárias, regimentais ou regulamentares de porte leve. Em caso de condenação, multa pecuniária ou prestação pecuniária ou ainda pena de 60 (sessenta) a 120 (cento e vinte) dias de suspensão.

Art. 20 – Infratores reincidentes - será aplicada aos infratores reincidentes multa pecuniária ou prestação pecuniária ou ainda pena de suspensão de 120 (cento e vinte) a 180 (cento e oitenta) dias no caso de condenação.

Art. 21 – Infração grave – será aplicada por ofensas de porte médio dirigidas a diretores da FJSERJ, atletas participantes, professores de associações filiadas ao Judô Social Rio durante o evento ou qualquer meio de comunicação via internet. Em caso de condenação pena de 180 (cento e oitenta) a 360 (trezentos e sessenta) dias de suspensão, ou pena pecuniária.

Art. 22 – Infração gravíssima – será aplicada por insubordinação, agressão, descumprimento estatutário com pena de exclusão do quadro de filiados da FJSERJ, em caso de condenação.

 

Seção VI – Atenuantes

Art. 23 – ser menor de 18 anos.

Art. 24 – ter o infrator procurado diminuir as consequências da infração antes da punição.

Art. 25 – ser primário em cometimento de infração.

Art. 26 – ter sido a infração cometida em revide imediato.

Art. 27 – ter o infrator confessado infração atribuída a outrem.

 

Seção VII – Agravantes

Art. 28 – infração ter sido praticada em concurso de pessoas.

Art. 29 - ter sido praticada com uso de instrumento ou objeto lesivo.

Art. 30 – ter o infrator graduação de shodan ou superior.

Art. 31 - ter sido a infração praticada com o intuito de denegrir a imagem da instituição FJSERJ ou de seus membros de direção no exercício de suas funções.

 

Seção VIII – Da Participação nos Eventos da Federação

Art. 32 - ao efetuar o pagamento da inscrição nos eventos do Judô Social Rio o pai, o professor responsável ou a pessoa inscrita estará concordando e autorizando o direito de imagem de forma gratuita, sem que nada haja a ser reclamado a título de direitos conexos a imagem, assim como declara que o inscrito não sofre de nenhuma doença ou limitação física que desaconselhe ou impeça a participação em treinos e competições, atestando ainda que o atleta está em plenas condições de saúde física e mental.

Art. 33 – O filiado deverá sempre se identificar com a carteirinha ou documento com foto nos eventos do Judô Social Rio.

Seção IX - Das Disposições Gerais

Art. 34 – Os casos omissos serão apreciados e solucionados pela diretoria executiva da FJSERJ.

Art. 35 – Este regimento entra em vigor nesta data, atendendo as disposições estatutárias da FJSERJ – Judô Social Rio.